Renda Fixa em 2020: por que continuar investindo mesmo com a queda da Selic?

Para equilibrar rentabilidade e segurança, opte pela diversificação entre renda fixa e variável.

Postado em: 09/01/2020

Durante muitos anos, a alta taxa de juros transformou o Brasil no paraíso dos investimentos em renda fixa. A menos de três anos, os juros ainda eram acima de 14%. Em 1999, chegou a 45%. Um oásis para os rentistas.

Mas, em 2019, a situação mudou. A taxa Selic caiu e atingiu sua mínima histórica e tende a seguir baixa por mais algum tempo, pois a pressão inflacionária segue controlada, e a retomada da economia ainda é lenta.

Agora, nesse novo cenário, a renda fixa continua tendo sua importância no portfólio dos investidores. Mesmo que sua rentabilidade não seja mais tão atrativa quanto em anos anteriores, a segurança da renda fixa ainda é importante para uma parte dos seus investimentos, como a reserva de emergência ou recursos para objetivos específicos, como, por exemplo, os de longo prazo.

Previdência Privada é renda fixa ou variável?

Os dois. Na verdade, um plano de previdência privada sempre poderá ter uma fração dos recursos investidos em renda variável e em renda fixa, buscando constantemente uma relação de risco e retorno interessante aos participantes do plano de previdência, sempre com uma visão de longo prazo.

O mais interessante é que o administrador do plano de previdência é que faz este acompanhamento do mercado financeiro, rastreando oportunidades atraentes de investimentos, seja em renda fixa ou renda variável.

Em outras palavras, você deixa seu dinheiro aplicado e um administrador especializado, como nós, da Fundação Família Previdência, faz diferentes tipos de aplicações, objetivando rentabilizar o seu investimento para sua aposentadoria.

A previdência privada vai ser impactada pelos juros baixos?

É evidente que a redução da taxa Selic impacta significativamente os investimentos, como a previdência privada, mas, muito além da taxa Selic, o que impacta muito sobre a rentabilidade de um plano de previdência privada é a cobrança de taxas, como as de administração e carregamento.

A taxa de administração é, como o nome já diz, o percentual que pagamos aos administradores da nossa previdência privada por zelarem pela boa administração e para desenvolverem estratégias de como nosso dinheiro será investido.

Bancos e seguradoras ainda cobram a taxa de carregamento, a qual é um percentual de cada aporte realizado. Na prática, se a taxa de carregamento for de 2% e você programou aportes de R$ 100,00 por mês, 2% deste valor (R$ 2,00) serão descontados e apenas R$ 98,00 serão creditados no seu plano de previdência.

Como funciona a rentabilidade do Família Previdência?

O Família Previdência possui o melhor time de especialistas para fazer o seu dinheiro crescer com segurança. Contamos com uma equipe qualificada em gestão de recursos, com grande experiência no mercado financeiro e, por isso, estamos o tempo todo atentos às melhores oportunidades para investir com segurança, buscando sempre auferir os melhores rendimentos possíveis com níveis de risco aceitáveis.

Trabalhando dessa maneira, vimos alcançando ótimos resultados desde o lançamento do Família Previdência (dezembro de 2010), com rendimentos bem acima da inflação ou da poupança no mesmo período.

Como somos geridos por uma entidade sem fins lucrativos, temos as menores taxas de administração, não cobramos taxas de carregamento, e revertemos toda lucratividade obtida aos participantes, engordando ainda mais a rentabilidade da previdência privada dos nossos participantes.

Se, no curto prazo, esses descontos já são perceptíveis, no longo prazo eles se tornam diferenciais incomparáveis, algo que você não encontra na previdência privada de bancos ou instituições financeiras.

Quer contar com uma instituição com mais de 40 anos de história, mais de R$ 7 bilhões administrados e rentabilidade atraente? Fale com a gente!


COMECE A SIMULAR O SEU PLANO